segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Carta do amante

Veja bem: eu posso pedir sua atenção, mas não posso pedir que você me ame, nem que você aja como se me amasse. Isso é tão natural e, enquanto eu quiser prosseguir com esse meu idílio, enquanto eu quiser me iludir para ficar feliz como estou agora, eu tenho que aceitar esse fato.
Nosso amor é um amor de mentira. Eu inventei que te amo para suportar o peso da vida e você, você não inventou nada. Você é apenas uma peça desse jogo, o objeto necessário e idealizado para que eu despeje meu amor.
Porque eu amo – e amo muito, amo tonto, amo louco. E preciso de você, da sua imagem, para o sonho. Qualquer coisa fora disso é confusão humana da minha mente. Meu coração se abastece em apenas te amar. Para isso preciso apenas da sua atenção, de vez em quando.
Pedir que você me ame seria quebrar a harmonia do meu amor inventado, destruir minha ilusão e me matar, é isso: pedir que você me ame seria me matar.

Escrita por um amigo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Venha fazer parte desse blog!Todos são bem vindos!